“Mas é engraçado, o amor não dói. E não, não me faça essa cara de espanto, eu repito: o amor não dói. O ciúme, a insegurança, a desconfiança, a falta de, o medo de perder a pessoa amada, o medo de amar, o medo de nunca ter sentido tamanha felicidade na vida inteirinha, isso sim dói. O amor, amor como sentimento, amor como coisa plena, amor como som no peito, amor como sorriso no olho, amor como poesia na boca, amor como amor, esse não dói.”

Clarissa Corrêa. (via velhocaos)
“Se der certo ou não, não importa o que importa é que eu tentei e fui o mais longe que pude.”

Dean Winchester. (via trovejo)
“Sorrir é a alma do negócio.”

Neto Monteiro. (via trovejo)
“Já vi casais brigando, falando coisas horríveis e depois estavam se pegando de novo. Já vi uma mãe bater no filho e depois com lágrimas nos olhos pedir desculpas. Já vi uma criança negar comida para o seu coleguinha, mas depois ela dividiu o seu lanche. Já vi pessoas ajudando quem sente frio, quem não tem um teto sobre a sua cabeça. Já vi gente sofrendo, chorando, e morrendo. Acreditei, e desacreditei no amor milhões de vezes. Mas o que eu nunca vi, foi alguém perdoar com sinceridade, esquecer o passado e seguir em frente com o coração aberto para novas chances. A mágoa e o ódio, são os piores sentimentos que existe, faz murchar tudo o que tem de bom dentro de você. Então, se permita ser feliz, se permita acreditar na felicidade.”

Pelos Olhos de Maíse.  (via terminar)
“Sou eu quem vai ouvir você quando o mundo não puder te entender.”

Anjos de Resgate.  (via nobroke)
“Tristeza é quando chove, quando está calor demais, quando o corpo dói e os olhos pesam. Tristeza é quando se dorme pouco, quando a voz sai fraca, quando as palavras cessam e o corpo desobedece. Tristeza é quando não se acha graça, quando não se sente fome, quando qualquer bobagem nos faz chorar. Tristeza é quando parece que não vai acabar.”

Martha Medeiros. (via o-anjo-mais-novo)
“Vontade de escrever não me falta, mas ultimamente está difícil escrever algo que faça sentido, algo realmente bom, ou que pelo menos algo que alguém leia e entenda, é difícil escrever com um furacão de sentimentos dentro do peito. Os sentimentos estão intensos, e as palavras parecem insuficientes para explicar o que sinto. Escrever é inútil, não há como dar sentido para algo que se quer eu entendo, é isso, eu não faço sentido.”

Cristian. (via o-anjo-mais-novo)